64-Não-para-clientes
December 11, 2017 Blog, Reuniões No Comments

Você provavelmente já passou por essa situação: agenda cheia, vários projetos rolando e o cliente querendo agendar a décima quinta reunião para mais um alinhamento, algo que daria facilmente para ser resolvido por um call ou mesmo um e-mail.

Como crescemos acreditando naquela máxima de que o “cliente sempre tem razão”, lá vamos nós prejudicar a agenda de um dia inteiro para mais um “bate e volta” nada produtivo. Será que é possível reverter essa situação sem chatear o cliente?

PERGUNTE QUAL É A RELEVÂNCIA

A primeira pergunta que costumo fazer para os meus clientes é essa: “por que eu sou útil nessa reunião?”. Na maioria das vezes eles estão convocando no automático, imaginando que para você é um benefício participar desse encontro. Ao fazermos esse questionamento, estamos tirando o cliente do automático e colocando valor ao nosso tempo!

Cuidado com os famosos “você é útil porque é importante”, isso não responde a questão central. Utilidade precisa estar conectada à uma ação, como por exemplo “você é útil porque trará os resultados da última pesquisa de mercado que fizemos”. Se não estiver claro qual será sua ação durante ou pós a reunião, muito provavelmente não há necessidade da sua presença!

OUTROS RECURSOS FUNCIONARIAM?

Certa vez um cliente pediu para fazermos uma reunião porque ele queria ver um balanço de tudo que havíamos feito durante o último trimestre. Não havia conflito, tão pouco insatisfações, o documento nada mais era do que uma prestação de contas habitual para ser encaminhada ao financeiro da empresa.

Nesse caso questionei se não seria mais produtivo para ambos os lados que eu enviasse essa informação por e-mail e, em caso de dúvidas, poderíamos agendar um call para solucioná-las. O cliente prontamente concordou, afinal, ele também estava sem tempo para tantas reuniões naquela semana.

MOSTRE O BENEFÍCIO PARA O OUTRO

Geralmente quando vou negar a participação em uma reunião, gosto muito de exaltar o quanto o outro também ganha com isso! Frases como “para otimizarmos o nosso tempo”, “para poupá-lo de ter que fazer mais uma reunião”, “para conseguirmos avançar com o projeto” ou “para você não precisar ter duas horas a menos no seu dia” são muito úteis no momento de declinar um convite para reunião.

Quando mudamos a polaridade, mostramos a nossa preocupação não apenas com o nosso tempo, mas também com o tempo do outro! E claro, isso precisa ser genuíno. Quando o cliente percebe que há uma preocupação que transpassa o projeto, o relacionamento se torna ainda mais próximo.

PEÇA TEMPO PARA RESPONDER

Muitas das coisas que marcamos é porque não tivemos tempo para pensar sobre ou para fazermos esses questionamentos que citamos acima. Quando você estiver na dúvida se aquela reunião será útil ou não, peça um tempo para organizar a sua agenda e entender se conseguirá participar.

Aliás, essa é uma dica para praticamente tudo. Muitas pessoas entram em projetos que não gostariam de participar pela praticidade que o “sim” traz e se esquecem do quanto a falta de um cordial “não” pode implicar em suas rotinas.

SAIBA MAIS!

Para se aprofundar em nossa metodologia e em alguns dos itens que citamos nesse texto, faça o download gratuito do nosso e-book:
img_MAIL_Kairos

Se tiver dúvidas ou quiser contratar o Workshop Simplesfica para sua empresa, escreva para flavia@simplesfica.com ou luiz@simplesfica.com.

 

Written by Flavia